Como já foi dito, a estrela mais próxima do nosso Sistema Solar é Proxima Centauri, e é por isso que faz mais sentido traçar uma missão interestelar a este sistema primeiro.

Alpha Centauri

Como parte de um sistema triplo de estrelas chamado Alpha Centauri, Proxima está a cerca de 4,24 anos-luz (ou 1,3 parsecs) da Terra. Alpha Centauri é na verdade a estrela mais brilhante dos três no sistema – parte de um binário próximo da órbita de 4,37 anos-luz da Terra – enquanto Proxima Centauri (a mais fraca das três) é uma anã vermelha isolada a cerca de 0,13 anos-luz do binário.

E enquanto viagens interestelares evocam todos os tipos de visões de viagens mais rápidas que a luz (FTL), variando de velocidade de distorção e buracos de minhoca a saltos, essas teorias são altamente especulativas (como a Alcubierre Drive) ou inteiramente da província da ficção ciência.

Com toda a probabilidade, qualquer missão no espaço profundo provavelmente levará gerações para chegar lá, em vez de alguns dias ou em um flash instantâneo.

Então, começando com uma das formas mais lentas de viagem espacial, quanto tempo levará para chegar a Proxima Centauri?

Em suma, a uma velocidade máxima de 56.000 km/h, o Deep Space 1 levaria mais de 81.000 anos para atravessar os 4.24 anos-luz entre a Terra e a Proxima Centauri.

Para colocar essa escala de tempo em perspectiva, seriam mais de 2.700 gerações humanas. Portanto, é seguro dizer que uma missão de motor iônico interplanetário seria lenta demais para ser considerada para uma missão interestelar tripulada.

Provavelmente, estamos muito longes de uma viagem desse porte por pelo menos várias gerações à frente da nossa. É claro que se os humanos ainda estiverem existindo ou se tiverem há muito tempo se acabado.